O que é hiperidrose?

A hiperidrose é uma condição benigna caracterizada pela ocorrência de suor excessivo em áreas localizadas do corpo. Esse suor ocorre devido a uma disfunção do sistema nervoso simpático que emite mensagens erradas ou exageradas várias vezes ao dia, atuando nas glândulas sudoríparas que produzem maior quantidade de suor. Os sintomas podem aparecer em qualquer idade.

Quais os sintomas da hiperidrose?

Suor em excesso (umedecer, molhar ou encharcar) em áreas localizadas como mãos, axilas, rosto/face, couro cabeludo, nádegas, virilhas e pés. Geralmente esse suor ocorre de forma episódica (aparece e desaparece), várias vezes ao dia, tanto em dias quentes quanto em frios.

Como se dá o diagnóstico da hiperidrose?

O diagnóstico é clínico, baseado na observação dos sintomas e histórico do paciente.

Hiperidrose é uma condição comum?

Cerca de 1% a 2% da população mundial sofre com esta condição, que é mais comum em membros da mesma família.

Hiperidrose tem cura? Quais os tipos de tratamento?

Sim, o suor excessivo tem cura. O tratamento da hiperidrose pode ser  não-cirúrgicos ou cirúrgicos.

Não-cirúrgicoscomprimidos, cremes manipulados e lontoforeseaplicação de toxina botulínica (botox). Em geral, são indicados a paciente com casos mais leves. Existe ainda a aplicação de ondas eletromagnéticas que é indicado para tratar o suor das axilas sem a necessidade de cirurgia (ainda não aprovado uso no Brasil).

Cirúrgico: a intervenção cirúrgica pode exigir a aspiração das glândulas das axilas ou o bloqueio de gânglios da cadeia simpática (simpatectomia ou cirurgia do suor). Essa última é realizada por meio de pequenas incisões por videocirurgia, e pode representar a cura definitiva para os pacientes que sofrem desta condição.

Dúvidas frequentes sobre hiperidrose

Existem diversos tratamentos disponíveis para a hiperidrose / sudorese excessiva, que costumam se dividir em formas não-cirúrgicas ou cirúrgica. Dentre as não-cirúrgicas estão os medicamentos que incluem desde antitranspirantes, tratamentos psicoterápicos, comprimidos e cremes manipulados e a utilização de lontoforese, aplicação de  botox (toxina botulínica). De forma geral, com exceção de casos leves,  o tratamento através destes métodos obtém um bom resultado somente a curto e médio prazo, sendo necessário a manutenção constante para que o paciente mantenha a qualidade de vida desejada.

Através da intervenção cirúrgica, que pode exigir a aspiração das glândulas das axilas ou asimpatectomia ou cirurgia do suor (bloqueio de gânglios da cadeia simpática), essa que é realizada através de pequenas incisões por videocirurgia e pode representar a cura definitiva para os pacientes que sofrem desta condição.

No entanto, é importante saber que cada tratamento é especifico para cada indivíduo, o que inclui em muitos casos a associação de técnicas cirúrgicas e não-cirúrgicas. Por isso, procure um médico especializado em hiperidrose e faça o tratamento ideal para o seu caso.

Se no seu estado/cidade não existir um médico especialista, com competência, experiência para te operar você poderá da mesma maneira conseguir que o SUS seja obrigado a arcar com todas as despesas de sua cirurgia. Para isso você terá que contratar um advogado que através de processo judicial conseguirá.

As consultas: podem ser pagas em dinheiro, cheque ou cartão de débito.

As cirurgias: podem ser pagas a vista: em dinheiro, cartão de débito ou transferência bancária e haverá desconto de 5% (nos honorários médicos).

As cirurgias: podem ser pagas em parcelas: com entrada de 40% e o restante poderá ser parcelado em até 6 vezes sem juros nem correção e você poderá utilizar:

  • Transferência bancária: para esse solicite dados de nossa conta jurídica e do hospital.
  • Cartões de crédito: para usar esse certifique-se que seu cartão permite pagamentos nos valores descritos acima.
  • Boleto bancário: para usar o boleto você precisa trazer um comprovante de seu endereço que tem que ser uma conta de luz ou de água do contrário não teremos como emitir o boleto.

Sim certamente você poderá utilizá-lo para o pagamento do hospital (centro cirúrgico, acomodação, alimentação e medicamentos), da cirurgia e da equipe anestésica. O Dr. Malucelli atende a todos os planos de saúde pelo sistema de reembolso. Onde é cobrada a consulta e emitida nota fiscal para você solicitar ressarcimento. Além disso você poderá utilizar para desconto em seu imposto de renda.

Existem diversos tipos de planos de saúde e cada um deles tem mais 10 a 15 submodelos. Tudo depende do que foi acordado quando comprado o plano. Cada plano de saúde criou sua própria tabela de pagamentos e essas são constantemente modificadas tanto em seus valores quanto em seus códigos. Para termos certeza se seu plano de saúde irá ou não autorizar a cirurgia e se os valores pagos por eles são os mesmos que cobramos precisamos te enviar um “pedido de cirurgia com prévia de reembolso”. Nesse estão descritos códigos da doença, da cirurgia, de materiais especiais, etc.

Para podermos enviar esse pedido, primeiramente você precisará solicitar nosso questionário de avaliação.

Após isso teremos dados para preencher esse pedido, que você deverá encaminhar para seu seguro / plano / convênio de saúde. Eles levarão até 7 dias úteis para te dar uma resposta exata se a sua cirurgia será ou não autorizada e se os valores pagos são iguais aos que nós cobramos. Geralmente eles autorizam a realização das cirurgias do suor.

Leis da ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar: na lei 9656 (no artigo primeiro, inciso I) regulamentada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar diz em resumos que: “todos os médicos conveniados ou não a qualquer plano, convênio ou seguro de saúde, tem o direito de solicitar exames e cirurgias”. Portanto, independente se o Dr. Malucelli é ou não credenciado ao seu plano de saúde, você terá o direito de seu operado(a) por ele.

O Dr. Malucelli sempre dá preferência em escolher um hospital que seja credenciado com seu plano de saúde e que tenha anestesistas credenciados, pois assim tudo ficará mais fácil de ser autorizado e de não haver nenhuma diferença de valores para serem pagos a esses profissionais.
Veja os hospitais que operamos

Sobre o tempo de carência e abrangência

Os planos de saúde chamam de “tempo de carência” o período entre você assinar o contrato com eles e poder usar o plano para uma consulta, cirurgia, exames, etc. Geralmente para poder ser operado de uma “doença pré-existente” existe um tempo de dois anos (dois anos após a assinatura do contrato). Mas muitas vezes o contrato que você ou sua empresa fez não tem esse tempo.

Obs: em emergências não existe esse tempo de carência.

Alguns planos de saúde podem ter abrangência nacional (todo o Brasil) ou regional (somente no seu estado) mas, se no seu estado/cidade não existir um médico especialista, com competência, experiência para te operar você poderá da mesma maneira conseguir que o plano de saúde autorize sua cirurgia em outros estados.

Não. Os nossos rins somente eliminam urina (dejetos de nosso corpo) e não tem relação alguma com o mecanismo que provoca a produção do suor.

Não. A cirurgia pode ser reversível.

Se a cirurgia foi realizada com uso de clip (simpáticoclipagem), pode ser realizada a retirada do clip. Essa é a técnica mais utilizada pelo Dr. Malucelli.

Se a cirurgia foi realizada com corte, retirada ou queimadura de um segmento do nervo, pode ser realizada a reconexão, com uso de um enxerto pediculado de um nervo da costela ou com um enxerto livre de um segmento de um nervo da perna (utilizados para refazer a conexão do nervo anteriormente desconectado).

Essa cirurgia é de difícil execução. O Dr. Malucelli é pioneiro dessa cirurgia no Brasil.

A aplicação do botox pode ser bem dolorida mas existem maneiras de evitar isso. Antes da aplicação do botox o médico deve receitar medicamentos orais que devem ser tomados pelo paciente 1 a 2 horas antes para evitar que haja dor. Além disso meia hora a 1 hora antes da aplicação o médico deverá fazer uma analgesia tópica com medicamentos adequados.

Sim. Você deve procurar a rede credenciada de sua cidade, em um ambulatório de cirurgia torácica, e procurar informações sobre que profissional será o responsável pela realização da sua cirurgia. É comum a ocorrência de filas de espera nos tratamentos ofertados pela rede pública de saúde mas você não irá gastar nada e será operado(a).

A principio não. O suor em excesso que pode ser tratado com cirurgia é a hiperidrose primária.

O suor noturno geralmente é decorrente de hiperidrose secundária. Nesses casos, deve ser feita uma investigação minuciosa das causas secundárias e essas devem ser tratadas.

Sim. Mas geralmente é só uma questão de aguardar os meses passarem para que a própria pessoa observe que os sintomas que ela apresenta – decorrentes da menopausa (calorões, fogachos, suor em todo o corpo, etc) – são diferentes daqueles que ocorrem na hiperidrose (suor em excesso em áreas localizadas, sem fogachos nem calorões).

Além disso, nessas pessoas devem ser realizados exames hormonais antes de se cogitar a realização de uma cirurgia.

Não existe ligação alguma entre o excesso do suor (hiperidrose) e o peso da pessoa. A pessoa não irá nem engordar nem emagrecer após a cirurgia.

A cirurgia tem a pretensão de eliminar somente o suor “desnecessário” que ocorre em pessoas que possuem hiperidrose. Não existe a menor possibilidade de haver retenção de líquidos após a cirurgia e a pessoa engordar.

Quando nosso organismo apresenta excesso de líquidos eles são eliminados através dos rins pela urina e nunca através do suor como os leigos imaginam.

Não. A hiperidrose é decorrente de uma disfunção do sistema nervoso autônomo – nervo simpático e não do sistema nervoso central. Portanto não há como controlarmos esse nervo e por consequência não temos como controlar o suor nem o rubor.

Os tratamentos com psiquiatras e/ou psicólogos auxiliam, e muito, todas as pessoas a lidar melhor com seus problemas, a lidar com situações difíceis, a aceitar nossas limitações mas não irão melhoram em nada o suor da hiperidrose

Não. Em nossa opinião somente os cirurgiões habilitados e com título de especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia torácica e pelo Colégio Brasileiro de Cirurgiões poderiam realizar essas cirurgias.
Além disso o cirurgião deve estar constantemente atualizado pois essa cirurgia tem alcançado avanços constantes, demonstrados em congressos mundiais e nacionais, e quem não estiver atualizado realizará uma cirurgia que não alcançará o resultado esperado pelo paciente.

Não deveria. Existem relatos de pacientes de que isso tenha ocorrido uma melhora do suor com o passar dos anos mas sem comprovação médica nem científica.

Se a pessoa realmente apresentar hiperidrose primária (comprovada por um médico), os sintomas não desaparecerão com o passar do tempo. Os pacientes comentam que, com o passar do tempo, eles se sentem cada vez mais intolerantes para suportar o excesso de suor.

Se a pessoa apresentava uma hiperidrose secundária (quando decorrente de outra doença associada) aí sim ela poderá desaparecer quando a doença que está causando a hiperidrose for tratada.

Não. O excesso de suor que ocorre na hiperidrose é devido a uma disfunção do sistema nervoso autônomo – nervo simpático e pode ser desencadeado quando a pessoa fica nervosa, ansiosa, em situações constrangedoras mas também em  situações normais, banais do dia a dia como: assistindo à televisão, assistindo aulas, conversando com amigos, se relacionando com os familiares, etc.

Não é incomum vermos que mesmo alguns médicos que não estão familiarizados com essa doença acabarem confundindo-se com esses diagnósticos.

Não existe ligação alguma entre o excesso do suor da hiperidrose e a atividade sexual.

A pessoa poderá ter uma melhora em sua atividade sexual devido ao aumento de sua auto-estima, que geralmente ocorre quando não mais apresenta a hiperidrose.

Na cirurgia realizada para eliminar o suor dos pés existem alguns cuidados que devem ser tomados para que não ocorram problemas na ejaculacão dos homens.

Não existe ligação alguma entre o excesso do suor (hiperidrose) e o aparecimento de “inchaço no corpo”.

A cirurgia tem a pretensão de eliminar somente o suor “desnecessário” que ocorre em pessoas que possuem hiperidrose. Não existe a menor possibilidade de haver retenção de líquidos após a cirurgia e a pessoa inchar ou engordar.

Quando nosso organismo apresenta excesso de líquidos eles são eliminados através dos rins pela urina e nunca através do suor como os leigos imaginam.